GRES Tom Maior na Barra Funda

ACSESM Camisa Verde e Branco

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Tom Maior é uma escola de samba da cidade de São Paulo, fundada em 14 de fevereiro de 1973, no bairro do Sumaré, por sambistas dissidentes da Camisa Verde e Branco e diversos estudantes universitários, frustrados com a realidade política da época. Seu nome foi inspirado nos versos da música de Martinho da Vila: “Vai ter de amar a liberdade, só vai cantar em Tom Maior, vai ter a felicidade de ver um Brasil melhor...”

Tem como cores o vermelho, o amarelo e o branco, embora haja predomínio das duas primeiras, inclusive citadas no tradicional grito de guerra de René Sobral.

Sua comunidade de origem é o bairro do Sumaré, porém durante muitos anos vem frequentemente mudando de endereço, tendo sido sediada em diversos bairros. Atualmente, sua sede está no bairro de Pinheiros, e sua quadra, na Barra Funda.

História

Na reunião de fundação, criada e idealizada por Hélio Bagunça, que foi o primeiro presidente da escola, juntamente com sambistas tradicionais da Camisa Verde e Branco, haviam pessoas com diferentes idades, origens e experiências de vida, haviam também universitários da USP que na época frequentavam o São Paulo Chique, que era uns dos maiores eventos culturais dos anos 70.

Em 1974, a escola colocou na avenida o seu primeiro Carnaval, sendo vice-campeã do Grupo 3 (atual Grupo 1 da UESP), fato que a promoveu para o Grupo 2(atual Acesso). Manteve-se em 1975 e foi vice-campeã do Grupo 2 (atual Grupo de acesso) em 1976, chegando ao Grupo 1(Hoje Especial) pela primeira vez em 1977, ficando em 9º lugar.

Não se firmou muito tempo no Grupo Especial, voltando ao Grupo 2 (acesso) em 1979 e em 1982 chegou a ser rebaixada para o Grupo 3 novamente, permanecendo até 1992. Só retornaria ao Grupo Especial em 1996, quando terminou em 8º lugar, mas em 1997, ao terminar na 9ª colocação entre 10 escolas, acabou rebaixada novamente, porém com um belíssimo desfile e numa classificação muito discordada pelo mundo do samba.

Em 1999 a escola alugou uma quadra no Sumaré, em plena Av. Dr. Arnaldo, permanecendo nos carnavais de 2000 e 2001. Embora até hoje constantemente se afirme como pertencente ao Sumaré, em sua trajetoria migrou para diversos endereços. No carnaval de 2000, a Tom Maior teve uma nova passagem pela divisão principal, porém terminou em 13º lugar entre 14 escolas, caindo outra vez, por apenas meio ponto, assim como em 1997.

Em 2004, foi vice-campeã do Grupo de acesso, voltando ao especial em 2005 com um enredo sobre o meio-ambiente. Mais uma vez mudava seu endereço, mas apenas do número 50 para o número 263 da mesma rua Eugênio de Medeiros, em Pinheiros. Espaço amplo e muito bem projetado, ajudou a preparação de um grande desfile. Manteve-se no Grupo Especial para o ano seguinte, quando fez uma homenagem ao cantor Frank Aguiar, bem como a seu Estado-natal, o Piauí o que concedeu a escola 6 prêmios especiais do Jornal Diário de São Paulo, considerado o estandarte do carnaval.

Em 2007 a escola surpreendeu com um enredo sobre o movimento trabalhista no mundo, com alegorias altas e um samba politizado, conseguindo uma expressiva 8ª colocação entre 14 escolas.

Já no Carnaval 2008 surpreendeu no Anhembi, com o enredo "Glória Paulista - São Paulo na Vanguarda da Economia Brasileira" a escola conseguiu sua melhor colocação entre a elite do carnaval paulista, alcançando um expressivo 5° lugar. Com um belo samba, fantasias e carros alegóricos criativos que chamaram atenção do público, assegurou sua participação no desfile das campeãs de São Paulo, porém junto desta conquista inédita, mais uma vez a escola precisou deixar sua quadra, pois o proprietário vendeu o imóvel para uma construtora, o que levou a escola a ensaiar no bairro da Barra Funda.

No carnaval 2009, com um enredo sobre Angola e Martinho da Vila, denominado Uma nova Angola se abre para o mundo! em nome da paz, Martinho da Vila canta a liberdade!!, a escola fez um excepcional desfile, porém ficou na 11º colocação.

No carnaval 2010, escolheu como enredo os 50 anos de Brasília, enredo apresentado por diversas outras escolas, de outras cidades, no mesmo ano, como a Beija-Flor, no Rio, e a MUG, em Vitória. Roberto Szaniecki foi contratado para ser o carnavalesco, e trouxe mudanças nas cores apresentadas no desfile, com predomínio de dourado e prateado, além de alegorias grandes, que só foram terminadas no sambódromo. Com muitos problemas na concentração e nas alegorias, a escola obteve a 12ª colocação.

GRES Tom Maior - Barra Funda
Endereço: Rua Sérgio Tomás, 622 - Bairro Barra Funda - São Paulo - SP
CEP: 01131-000
(11) 3494-9040




  Sobre o EncontraBarraFunda
Fale com EncontraBarraFunda
Anuncie no EncontraBarraFunda
Cadastre sua Empresa no EncontraBarraFunda (grátis)



Termos EncontraBarraFunda | Privacidade EncontraBarraFunda


Bandeira da cidade de São Paulo